Maçã Agreste foi reeditado pela Cesárea e marca o início da fixação de Raimundo Carrero por um Recife, que representa todas as cidades, que se perde a cada momento, numa geografia povoada por perdedores, fanáticos e cachorros sem dono.

Parte 1:

Parte 2: